27 de set de 2015

O Triste Sofrimento da Língua Mãe

Todos os dias leio vários artigos na internet de diferentes assuntos, e todos os dias eu fico horrorizada quando chego na parte dos comentários (as vezes acontece no próprio artigo). Horrorizada a ponto de visualizar a pobre língua portuguesa sofrendo enquanto é esfaqueada pelos seus próprios filhos. Dramático né? É que a coisa é trágica mesmo.


A nossa amada língua materna deveria ser levada mais a sério, existe uma dificuldade muito grande em algumas pessoas com regras gramaticais, de acentuação, emprego do x, s, ss, z, c, ç, ch... Outra dificuldade está em entender que TODA ação tem "r" no final (eu quase morro quando vejo coisas do tipo: "se eu MORRE hj eu morro FELIS"). Além de pequenas coisas como a diferença entre mais e mas - "MAIS eu queria ir...", me e mim - "meu pai MIM deu...", agente e a gente - "AGENTE VAMOS no baile...".



 Existe um fenômeno surpreendente que me deixa muito intrigada, o fenômeno de pular uma conjugação no plural da primeira pessoa. Se o verbo termina em ar você usa o sufixo -emos no final sem o s, fica assim: "Eu compro, ele compra, nós COMPREMO". Se o verbo termina em er emprega-se o sufixo -imos também sem o s: "Eu perco, ele perde, nós PERDIMO"... Eu não entendo mesmo, pq é simples, o verbo termina em ar? Então usa-se -amos. Termina em er? -emos. E assim por diante. Parece que mistura passado e futuro em uma palavra só... ontem nós compramos, amanhã nós compraremos, já que é tudo compra junta as duas e faz compremo.


Aí tem aqueles que dizem que isso é frescura, que dá pra entender... NÃO! Não é frescura! Algum tempo atrás eu vi uma matéria no jornal sobre esse assunto, nela dizia que muitos profissionais competentes são descartados durante as entrevistas de emprego devido a falta de domínio da língua portuguesa, pessoas com diploma de ensino superior ou até mais. Veja bem a gravidade do problema, eles não são descartados por não dominarem uma língua estrangeira, mas por não saberem a própria língua materna, acha mesmo que isso é frescura? Até mesmo em relacionamentos pessoais, você conhece aquela pessoa dos seus sonhos e a convida pra sair, aí ela responde que não pode porque tá com uns "pobremas" em casa, ou te envia uma mensagem dizendo que tem que acordar "sedo" no dia seguinte... Adeus encanto pra maioria das pessoas.


Eu não sou perfeita, também erro em algumas coisas, a língua portuguesa é extremamente difícil, mas eu tenho um hábito que adquiri na escola... a curiosidade de pesquisar um dicionário, na duvida chamo o tio Aurélio. Também esqueço um acento aqui, uma vírgula ali, tenho um sério problema com o uso de reticências... (é vício, não consigo parar de usar rs) e não conheço uma pessoa que não cometa os seus errinhos, isso é normal. O que não é normal é escrever "peçoas" "gravideis" "derre pente" "estruprada" "já mais" "obegetivo" (foi essa que me inspirou a criar esse texto).


Tá bom, o povo fala e escreve errado. Já entendi que isso não é legal e pode ser prejudicial. Mas como mudar isso? Só conheço um jeito, leitura e mais leitura. Não interessa o que, não precisa dar a gramática pra pessoa ler, pode ser Machado de Assis, Jorge Amado, a saga Crepúsculo, 50 tons de cinza, Harry Potter, gibi da Turma da Mônica, o manual do celular novo... O importante é ler, porque só com a leitura a pessoa vai expandir seu vocabulário, aprender a grafia correta das palavras, ampliar seu poder de argumentação, entre outros inúmeros benefícios.


Então fica a dica: Conhece alguém que tem problemas com a nossa amada língua portuguesa? Dê um livro de presente pra esse alguém, incentive que ele crie o hábito da leitura e o ajude a ser uma pessoa com uma capacidade de comunicação melhor.


*
P.S. - Quero pedir muitas desculpas pela aparência desse texto, me justificando que ele foi escrito e editado pelo celular. Quer dizer, houve uma tentativa fracassada de edição. Por isso, se você encontrou no texto alguma abreviação como "vc" ou "tbm", peço que me avise para que eu mude. Apesar de revisar o texto, não consigo convencer meu cérebro que não posso usar palavras abreviadas enquanto digito pelo celular, ele faz isso todos os dias e não quer parar hoje (esse hoje eu tive que apagar e escrever inteiro, mesmo falando sobre o assunto o hábito é mais forte. Vocês também acham o cérebro uma coisa incrível e assustadora?).


Também quero me desculpar pela demora em escrever novos textos aqui pro blog, o motivo é que estou sem computador há dois meses. Outras vezes tentei escrever pelo celular, mas tem que ter a paciência de um monge tibetano pra fazer isso... Incrivelmente hoje estou com bastante calma. Estou tentando resolver o problema "notebook estragado" e assim que ele estiver resolvido voltarei a postar com mais frequência.


Um grande abraço a todos que me agraciaram com a leitura de meu humilde texto. Ressalto que comentários, elogios, críticas e doações milionárias sempre são muito bem vindas, mas se não tiver milhões pra me presentear fico igualmente feliz com o compartilhamento desse texto 😊

Nenhum comentário:

Postar um comentário